4 COISAS QUE APRENDI COM OS MEUS FILHOS JAPONESES...

A experiência AFS aumentou-me a família. Primeiro foi a minha sobrinha Jang (Tailândia), depois a minha primeira filha, Mio e por último o Yuta. A Mio viveu cá em casa 9 meses. O Yuta já vai com 6 meses. Ambos são especiais à sua maneira e ensinaram-me muito mais do que podem imaginar...aqui ficam 4 desses ensinamentos:

> Uma das primeiras coisas que aprendi com os meus filhos japoneses foram as expressões Itadakimasu e Gochisousama deshita. Por norma, a primeira é usada no início da refeição, enquanto que a última diz-se no final. Itadakimasu, significa de uma forma geral “eu humildemente recebo”. Por tradição, está directamente relacionado com o acto de comer (agradecer a comida e o sacrifício que foi necessário para eu me alimentar), no entanto, pode ser igualmente utilizada noutros contextos de gratidão.  Gochisousama deshita, por sua vez é utilizado no fim da refeição, num sinal de gratidão pela refeição e por quem a preparou...esta última significa literalmente: obrigado por esta refeição.


> A utilização de uma máscara quando nos encontramos a lutar contra algum problema de saúde, como uma simples gripe. No ocidente, a utilização destas máscaras representa uma gravidade grande, nos sintomas apresentados. Os meus filhos japoneses ensinaram-me que por educação e respeito para com as demais pessoas, ao mínimo sinal de contagio (constipação ou gripe) a máscara é a primeira acção, de forma a poder salvaguardar os demais membros da família.


> Inemuri. O Inemuri é uma arte, a arte de dormir com a maior facilidade, em todo o lado, a qualquer hora, sem no entanto perder a nocção de onde se está e do que se está a passar. Esta foi sem dúvida a licção mais difícil, mas é fantástico. Inemuri significa “dormir mantendo a presença”, e é isto mesmo que acontece. Esta prática trás algumas mais valias, nomeadamente, estes breves momentos de sono, ajudam a rejuvenescer a mente, permitindo a concentração e a clareza de ideias.


> Ter preparado um Kit de Emergência em casa. Para o povo japonês, os terramotos são acontecimentos normais e esperados, ou sejam, são tidos como certos. Não é uma questão de “se acontecer” mas sim “quando é que vai acontecer”. Apesar de estarmos do outro lado do mundo, a realidade por aqui (pelo menos em Benavente), não será assim tão diferente. Aqui ficam alguns itens indispensáveis para os japoneses, para além dos primeiros socorros:


1. Fogão portátil
2. Lanterna                           
3. Rádio a pilhas
4. Água
5. Latas de conserva            
6. Fita adesiva
7. Manta térmica
8. Luvas grossas de algodão
9. Sacos de plástico
10. Toalhitas
11. Recipientes de aço inoxidável
12. Capa impermeável

Ana, Nuno, Mio e Yuta Nunes