A TERAPIA DO GELO

Frequentemente chega um paciente à clínica e frisa o quanto beneficiou com a aplicação de gelo numa determinada lesão aguda...frequentemente tenho a oportunidade de explicar a ilusão dessa "terapia". Assim sendo, achei por bem escrever-vos as seguintes linhas. Obrigado pela vossa atenção! 

O gelo é vastamente utilizado para conservar as coisas no seu estado actual. O gelo ajuda a impedir a decomposição da comida, mas não ajuda a recuperar os tecidos danificados.

Efetivamente o gelo reduz o inchaço e a inflamação inicial de uma lesão recente e reduz até a dor. Mas a que custo? A contração local dos vasos sanguíneos e tecidos musculares inibe a normal circulação dos fluídos corporais, diminuindo assim a quantidade de sangue disponível no local. Esta acção não só irá retardar a recuperação como vai dificultar ou mesmo impossibilitar a normal circulação mais tarde. É frequente haver um ligeiro inchaço no pé, mesmo após um ano da lesão inicial (exemplo: entorse). Essa não é de todo uma situação desejável ou até sinónimo de saúde.  

O frio causa contração muscular. Um bom exemplo disso é um dia frio de inverno, os músculos contraem-se automaticamente para produzir calor. Todos os atletas sabem que é mais difícil alongar em dias de frio e mais fácil haver lesões. 

Colocar gelo em cima de uma área que já está contraída devido a uma lesão só irá provocar mais contração ainda. Esta ação irá atrasar o processo vital de cura e impedir a descontração muscular necessária para qualquer recuperação.

Em Medicina Chinesa há a ideia que o frio e a humidade penetram no interior do corpo em zonas onde a energia vital foi comprometida. Esta situação pode levar ao aparecimento de artrite que se torna dolorosa com as mudanças de tempo...