DEFINIÇÃO DE MESTRE

Nos nossos dias, somos testemunho do aparecimento de muitos Mestres. No entanto, para entender o conceito de mestria é preciso primeiro entender que somos seres espirituais ou energéticos, que por alguma razão, estamos a ter uma experiência física; com isto quero dizer que a mestria se comprova através de actos. Um Mestre, reconhece-se, em primeiro lugar pelas suas obras, e para que essas obras se vejam, tem que haver muita prática. Só a prática permite aperfeiçoar a arte e dominar a técnica. Não esqueçamos que o aperfeiçoamento da técnica nos permite chegar a algo mais. O domínio desta é essencial, embora não seja suficiente para que alguém com prática seja chamado de Mestre.

A mestria tem a ver com um estado interior; não com o conhecimento, mas sim com o saber. Quando o conhecimento (técnico) e o saber (estado interior) se unem, aproximam-nos da mestria. Um Mestre é alguém que, quando é observado não perde o centro, não se perturba e não age em consequência dos factos externos. Há que saber ser, mais do que saber fazer e chega-se a isto através da busca do Ser.

Em qualquer prática, seja qual for, toda a atividade é válida para que o Homem passe o umbral da sua mortalidade e expresse o Ser. Pode ser através de uma arte marcial, do canto, da dança, da cozinha, de cuidar de um animal...

A Mestria é um estado interior conseguido através de uma grande prática que não procura nada; Tão só ser o Ser.