O MITO DA MOTIVAÇÃO...

E aqui estou eu, mais uma semana, a falar sobre o mito da motivação...muito se tem escrito sobre motivação, inspiração, atitude, perseverança ou resiliência. No meu dia-a-dia é comum, os pais dos meus alunos falarem em motivação, constatarem que os filhos estão bastante motivados ou por outro lado, não estão nada motivados. Eu desafio todos a fazerem uma introspeção e a constatarem que todos nós, na nossa vida quotidiana, temos na verdade picos de motivação e inspiração. Uns ciclos duram mais tempo, outros podem ser mais curtos...pode haver uma razão exterior para essa motivação (ou desmotivação), ou pode haver uma razão interior/metabólica. Ora vejamos:

> Um dos grandes exemplos da motivação é a novidade. Se vamos fazer alguma atividade nova, que aparentemente nos agrada, enchemo-nos de motivação e vontade...ao fim de algum tempo, principalmente se essa mesma atividade requer uma prática constante para um aperfeiçoamento específico, a nossa motivação diminui face à realidade da prática versus a novidade inicial. 

> Outro dos exemplos mais comuns são os nossos níveis de cansaço. Se por um lado gosto imenso do meu treino e tenho vontade de ir...por outro lado, "não dormi nada esta noite e ainda por cima tive um dia terrível". Lá se vai a motivação!

Com isto quero apenas constatar que todos nós, crianças, jovens e adultos, somos seres cíclicos, com picos de motivação e entusiasmo, que ora estão em cima, ora estão em baixo...e está tudo bem. Nada na vida é permanente: a motivação e inspiração também não o são!

É por isto, que para mim, o atributo mais importante para qualquer um de nós desenvolver, o atributo que mais me interessa desenvolver nos meus alunos é a DISCIPLINA! 

Sim, a disciplina é o grande motor para tudo o que fazemos na nossa vida, de uma forma consistente. Sem disciplina não há consistência. Sem consistência as coisas simplesmente não vão acontecer...podemos dizer então que a consistência é a manifestação prática da disciplina. Independentemente do meu estado físico ou emocional, eu vou de forma consistente cumprir com o que defini, com o que precisa de ser feito, até atingir o resultado que espero...uma cria a outra:

DISCIPLINA = CONSISTÊNCIA = DISCIPLINA = CONSISTÊNCIA = DISCIPLINA 

Agora aqui é sem dúvida a cereja no topo do bolo...com disciplina nasce a consistência na ação. Com essa consistência, mais cedo ou mais tarde, aparecem os resultados, com os resultados cresce a nossa auto-estima, e quando mais auto-estima mais fácil será manter a consistência...quanto mais consistentes forem as minhas ações, mais disciplinado consigo ser.

A motivação vai e vem! A inspiração vai e vem! A disciplina é aquilo que te faz ir ao ginásio mesmo quando não tens motivação...a disciplina é responsável por fazer-te ir ao treino, mesmo depois de um dia de trabalho exaustivo...Disciplina, Disciplina e Disciplina! Tudo o resto vem depois...

No mercado de trabalho, não te podem impor disciplina direta, porque a disciplina é um valor e para que os valores ou princípios orientadores sejam verdadeiramente eficazes, têm de assumir a forma de verbos. Não pedimos mais "integridade", mas sim, "fazer sempre a coisa correta". Não pedimos "inovação", pedimos para "olhar para o problema de um ângulo diferente". Articular os nossos valores como verbos dá-nos uma ideia clara do que precisamos fazer...sabemos como agir em qualquer situação. Então não usamos "disciplina" mas sim "prazos limites" ou "consequências diretas", para impor essa disciplina...

A verdade é que muitos de nós, sem disciplina e sem motivação, guardamos até ao último momento para executar um grupo de tarefas, que depois, fazemos a correr nos últimos momentos, "inspirados" por essa dose de disciplina artificial chamada "consequência" ou "prazo". 

Com disciplina existe, programação, planeamento e execução, com muito menos stress...

Assim sendo, não se preocupem tanto com a motivação e foquem-se na construção de uma estrutura mental e física disciplinada! Esse é o meu maior foco no treino das Artes Marciais hoje em dia, ajudar os meus alunos a criar disciplina interna, daquela que não precisa de motivação exterior ou interior, disciplina de uma qualidade tal, que não se coloca a hipótese de não fazer...

Grato pelo vosso apoio, semana após semana.

Nuno Nunes