PLÁSTICOS DESCARTÁVEIS: SOMOS OU NÃO DEPENDENTES?

Estima-se que, em 2025 por cada 3 toneladas de peixe existirá 1 tonelada de plástico e em 2050, os oceanos terão mais plástico do que peixe!

A contaminação dos rios, mares e oceanos com plástico resulta de uma cultura de desperdício. Em Portugal, o consumo de descartáveis aumentou exponencialmente e, por ano são utilizados:
  • 250 milhões de copos descartáveis
  • 40 milhões de embalagens take-away
  • 1000 milhões de palhinhas
  • 10.000 milhões de beatas
  • 721 milhões de garrafas de plástico
  • 500.000 milhões de sacos de plástico
Mais de metade dos plásticos são de utilização única. Um simples saco de plástico usado uma única vez pode perdurar no meio-ambiente durante 300 anos. 

Se não forem tomadas medidas urgentes baseadas numa nova consciência ambiental e ecológica, o equilíbrio do ecossistema é colocado num ponto de não retorno! No passado mês de Outubro, o Parlamento Europeu aprovou uma proposta que preconiza a proibição de produtos de plásticos de utilização única na União Europeia a partir de 2021. Esta e outras propostas que conduzem a uma diminuição do consumo, devem ser acompanhadas por incentivos à reciclagem e reutilização.

Se ...
  • Já se questionou sobre este tema
  • Compreende os riscos para a sua saúde
  • Está consciente do impacto ambiental do lixo doméstico que produzimos 
Então...
  • Procure alternativas 
  • Mude o seu dia-a-dia em função da redução do consumo
  • Partilhe esta preocupação com outros
A implementação de novas rotinas, tais como, comprar a granel, utilizar garrafas de água reutilizáveis, substituir palhinhas de plástico por palhinhas de bambu ou de metal são alternativas ecológicas que fazem a diferença! Existem muitas outras que podem ser integradas no quotidiano e que tem repercussões no que diz respeito à preservação dos recursos naturais.