A IMPORTÂNCIA DO PARASSIMPÁTICO

O sistema nervoso autónomo regula os nossos processos automáticos - as coisas que fazemos sem pensar conscientemente, como a respiração e a digestão, por exemplo. Um ramo diferente deste sistema, o sistema nervoso simpático, faz o corpo segregar hormonas de resposta ao stress, como a noradrelina e o cortisol. Acelera o ritmo cardíaco, expande as veias pulmonares, contrai os músculos, dilata as pupilas e desliga a digestão. Ajuda a desviar energia de processos corporais, como a digestão, que não são necessários para a sobrevivência. Ajuda-nos a libertar energia dos músculos e diminui a função do sistema imunitário. A curto prazo, isto ajuda-nos a lidar com o stress, mas, se for activada a longo prazo, esta resposta pode tornar-se problemática. No mundo moderno, este sistema de lutar ou fugir activa-se quando estamos apressados para cumprir um determinado prazo, quando nos irritamos no transito, quando saímos tarde para deixarmos os filhos na escola ou quando nos obrigamos a um exercício intenso. Esta resposta pode ser gerida, desde que tomemos medidas para a equilibrar com repouso e relaxamento. Este repouso e relaxamento envolve o outro ramo do nosso sistema nervoso, que é o parassimpático. Funciona a um ritmo muito mais lento do que o simpático. Quando é actividado, a nossa produção de saliva aumenta, enzimas digestivas são libertadas, o nosso ritmo cardíaco abranda e os nossos músculos relaxam. Permite-nos digerir devidamente a comida, acalmar e dormir profundamente. Para conseguirmos gerir o stress da vida moderna, deveríamos fomentar a activação do sistema nervoso parassimpático...

Algumas acções, sem nenhuma ordem específica, que podem activar o sistema nervoso parassimpático e produzir o relaxamento:

1. Meditar e/ou praticar uma Respiração Profunda e Consciente 
2. Chi Kung e/ou Yoga
3. Ouvir música
4. Praticar exercício físico (Ex. Artes Marciais)
5. Passar tempo na natureza
6. Receber uma massagem
7. Brincar com crianças e/ou animais
8. Praticar o seu hobby preferido