NUTRIÇÃO

Talvez por vivermos numa cultura obcecada pelas aparências, fixámos-nos perigosamente na ideia de que a dieta só tem que ver com o peso. Isso levou a que nos concentrássemos de uma forma incessante nas gorduras e nos hidratos de carbono. A maioria de nós, sobretudo se tiver mais de 30 anos, cresceu a ouvir dizer que devia ter uma alimentação com poucas gorduras. Só recentemente se tornou evidente que esse conselho, pelo menos em parte, era erróneo e provocou algumas consequências infelizes e indesejadas. Na prática, reduzir a ingestão de gorduras traduziu-se muitas vezes em aumentar o consumo de açúcar e de hidratos de carbono refinados e altamente processados, com resultados demasiado previsíveis. Também esquecemos que a gordura - desde que seja do tipo certo - pode fazer-nos bem. Porém, isto não quer dizer  que devemos cometer o mesmo erro e ir demasiado longe, decidindo que o que importa é fazer uma alimentação rica em gordura. Há sempre uma tendência para corrigir e simplificar em demasia. É tentador acreditar que existe, algures, a dieta perfeita, e que tudo o que precisamos de fazer para atingir uma saúde perfeita é encontra-la. Muitas pessoas, claro está, acreditam que já fizeram isso: dietas com poucas gorduras ou ricas em gordura, com muita proteína, com poucos hidratos de carbono, vegetarianas ou veganas, KetoPaleo, a lista é infindável. E é verdade que cada uma dessas opções poderá ser eficaz para algumas pessoas, mas nenhuma é uma solução que serve toda a gente. Um problema enorme da cultura alimentar dos nossos dias encontra-se na quantidade de conselhos antagónicos. Ao contrário do que poderá pensar, não tenho qualquer preconceito contra qualquer uma dessas dietas. Se ser vegano ou seguir a sua própria interpretação de paleo funciona para si, isso é fantástico. Porém, recuso-me simplesmente a acreditar que exista "A verdadeira dieta" que seja ideal para toda a gente. Recordemos que os Seres Humanos sempre foram omnívoros oportunistas. Ao logo da história, as nossas dietas foram ditadas pela geografia e pelo clima. Comíamos o que quer que estivesse disponível. Ou seja, a máquina humana evoluída é capaz de prosperar seguindo uma grande variedade de dietas.